Fabio Frasson, mais um louco que corre (clique aqui)

A corrida é uma paixão que vem desde sempre. É difícil dizer quando tudo começou.

Olho no atletaBNasci em 1978, em Pindamonhangaba-SP. Sempre gostei de brincadeiras dinâmicas, que envolvessem corrida. Aos 12 anos comecei a praticar o atletismo, treinando no Centro Esportivo João Carlos de Oliveira (João do Pulo). No início, tinha pouca resistência, mas uma boa velocidade. Por isso, me dediquei à prova mais rápida do esporte: os 100m rasos. Participei de inúmeras competições, em provas individuais e de revezamento. Foram muitas medalhas. Mas o mais importante foi a paixão pelo esporte, as amizades, os aprendizados que ficam para a vida toda, como a disciplina, o foco nos objetivos, o respeito ao outro, o fair play…

Deixei o esporte aos 19 anos, quando não conseguia mais conciliar os horários de trabalho, faculdade e treinos na pista.

Os anos voaram, a explosão muscular ficou nas lembranças, mas o atletismo continuou pulsando nas veias. Voltei para o esporte há alguns anos, para cuidar da cabeça, do corpo e da alma. Fui para as ruas, correndo sem destino; apenas pelo prazer de correr. Durante um tempo, os treinos não eram constantes, não tinham regularidade. Até ser convidado a participar de um circuito de corrida de rua e enlouquecer de vez! Não dava mais pra correr só de vez em quando. A próxima prova estava logo ali e era preciso treinar. E de um simples circuito, com 5 etapas, vieram mais e mais provas. Só em 2015, foram 27 corridas. Não disputei as primeiras colocações, mas recheei minhas memórias e mantive meu corpo são.

Acho que já nasci correndo!

Há 2 anos participo de um grupo de corredores de rua, chamado Turma da Corrida. Quando me integrei ao grupo, mal passávamos de 10 participantes. Hoje, há treinos com 30, 40, 60 participantes. Acho que somos mais de uma centena. Só no facebook, o grupo tem mais de 1.900 membros. As camisas amarelas da Turma da Corrida têm abrilhantado corridas em todo o Vale do Paraíba, Serra da Mantiqueira, São Paulo, Rio de Janeiro e, mais recentemente, no Chile. Sucesso de público, de alegria, de disposição, de determinação. Cada um com seu objetivo, seja para cuidar da saúde, para fazer amigos, para superar seus limites ou para buscar o pódio, somos todos Loucos que Correm.

Nessa vida de louco que corre, sou muito grato pelo apoio de duas pessoas muito especiais, que sempre me incentivam e acompanham: minha esposa Simone, o amor da minha vida, e meu tio e amigo Fernandinho, o tio Nando.

Fabio Simone e Tio

Fabio Frassonfacebook: Fabio Frasson
email: fabio.frasson@yahoo.com.br